SALVAÇÃO e DEVOÇÃO

Todas as muitas e diferentes igrejas existentes no mundo são compostas por dois grupos de pessoas: Os crentes verdadeiramente salvos, que experimentaram o novo nascimento ensinado por Jesus a Nicodemos (João 3) e os crentes meramente religiosos, que fazem parte de uma comunidade de fé, mas ainda não salvos, ainda não nascidos de novo. Talvez Jesus tenha tratado desses grupos quando em suas parábolas falou do trigo e do joio, das ovelhas e bodes, dos peixes bons e ruins ou das virgens prudentes e estúpidas. Identificar quem é quem não é tarefa fácil para nós meros mortais e de avaliação limitada e superficial. Por outro lado, a bíblia declara que pelos frutos é possível determinar se uma árvore é boa ou não. Da mesma forma, pelos frutos que produzimos em nosso dia a dia é possível uma autoavaliação.

Creio que com uma boa dose de humildade, tendo como base as Escrituras é possível responder as seguintes questões: Qual dos grupos citados acima pertenço? De fato já vivi uma experiência de conversão e novo nascimento? A espiritualidade que pratico condiz com a espiritualidade revelada nos evangelhos?

Podemos começar a encontrar respostas para tão relevantes questões com base em uma única palavra – Devoção. Palavra está que significa dedicação. Dessa forma, um salvo, um verdadeiro discípulo é alguém que vive uma verdadeira devoção a Deus e também às pessoas. Vida consagrada e separada para Deus e aos outros.

A devoção a Deus vai além da prática das disciplinas espirituais, ela é marcada por uma alma que anseia pela mais íntima e pura comunhão com o Pai. É mais do que obediência às regras da fé, é amor! Amor por aquele que tanto nos amou. Devoção a Deus é entrega absoluta de tudo aquilo que temos e somos.

Diante de tão profunda declaração, creio que Davi viveu esse nível de Devoção: “Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus”? Salmos 42.1,2

Se sua fé é fria, distante e superficial em relação a Deus, então fique atento, ou você ainda não viveu a experiência do novo nascimento ou pode está vivendo um tempo de profunda apatia espiritual.

Quanto a devoção às pessoas nada tem haver com veneração a estas, mas como já afirmamos, com dedicação. Um verdadeiro salvo não tem o seu coração transformado apenas em relação a Deus, ele também tem sua interioridade mudada em relação ás pessoas. Após uma genuína conversão nunca mais olharemos para as pessoas da mesma forma, pois compreenderemos que elas também são imagem do Criador!

O apóstolo João garante: “Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas…” e “qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus”. I João 2.11 / 4.7

Se você se percebe superior a outras pessoas, tem o coração tomado de mágoas, tem um olhar desprovido de compaixão, então fique atento, ou você ainda não viveu a experiência do verdadeiro encontro com o Salvador ou tem vivido uma fé desprovida do verdadeiro sentido do evangelho.

Creio que a Salvação em Cristo (dentre outras coisas) constitui em uma profunda mudança de olhar em relação a Deus e em relação ás pessoas.

Weslei Pinha


Deixe seu comentário