O SUICÍDIO e a ÉTICA CRISTÃ

No mundo quase um milhão de pessoas colocam um fim em suas próprias vidas todos os anos, o que equivale a uma morte a cada 40 segundos. No Brasil morrem cerca de doze mil pessoas por ano em decorrência do suicídio, uma média de um suicídio a cada 40 minutos.
Outro dado preocupante é o crescimento no número de suicídio entre jovens e adolescentes. O suicídio foi a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, após os acidentes de carro.
Entre as principais causas de suicídio estão às pessoas esquizofrênicas, dependentes químicos e pessoas depressivas. Sendo que a depressão, que é tristeza intensa evidenciada pela perda de interesse pela vida é a principal causa dos suicídios no mundo. Segundo dados, 90% das pessoas que tentam se matar sofrem de depressão.
Dentre outras motivações que levam pessoas ao suicídio está à dificuldade de lidar com as perdas. Não são poucas as pessoas que desmoronam emocionalmente diante da perda de bens ou do fim de um relacionamento. Alguns por tamanho apego aos bens ou pessoa alvo de uma paixão doentia se vem incapazes de continuar vivendo sem estes.
A ÉTICA CRISTÃ É CONTRA O SUICÍDIO, devemos ser sensíveis aos sinais de tendência suicida e lutar com todos os recursos para desencorajar a pessoa de seu pensamento suicida, incentivando-a a encarar suas perdas, lutar contra suas doenças de alma e leva-la perceber o quanto Deus a ama e deseja ajuda-la em suas crises.
A Bíblia não oferece nenhum ensino direto a respeito do suicídio, mas fala de suicidas, os quais são um total de 6: Abimeleque (Juízes 9); Aitofel (II Samuel 17); Zinri (I Reis 16); Saul (I Samuel 31.4-6); Judas (Mateus 27); Sansão (Juízes 16).
Há divergência de pensamento entre os estudiosos se Sansão cometeu suicídio ou não. De qualquer forma é digno de nota que ele aparece em Hebreus 11, entre os heróis da fé.
Diante do ato suicida emerge a milenar polêmica quanto ao destino eterno do suicida. Todo suicida está perdido?
Antes de responder essa pergunta quero repudiar a atitude de boa parte dos cristãos que tem um estranho hábito de determinar o destino eterno das pessoas. Parece que em suas bíblias não se encontram as palavras de Paulo aos Romanos 14.10. Ao invés de assumir uma postura condenatória, deveríamos exercer a misericórdia e a compaixão para com o suicida e seus familiares. Mas empatia infelizmente não é uma prática de alguns dos meus irmãos de fé!
POR QUE CREIO QUE NEM TODO SUICIDA ESTÁ PERDIDO:
1 – É preciso considerar a total perda de lucidez bem como o profundo esmagamento emocional. Ainda creio em um Deus Justo e Bom, que leva em consideração esses fatores em seu julgamento.
2 – O único pecado imperdoável é a blasfêmia conta o Espírito Santo. Mateus 12.32
3 – O verdadeiro salvo não perde a salvação. João 5.24 / João 10.27,28 / Ef. 1.13,14
4 – “Entre a Eternidade e o último suspiro há um abismo de misericórdia”. João Maria Vianney
Weslei Pinha

 

 


Deixe seu comentário