O Deus que se interessa por sentimentos

Depois de estudar o livro de Jonas e perceber todo o trabalho que Deus teve com seu profeta, fico a me perguntar: Quem de fato Deus queria salvar nessa história? Sua meta era salvar os Ninivitas ou o profeta Jonas dos seus conceitos e sentimentos mesquinhos? Acredito que os dois. Na ação de salvar os ninivitas, Deus buscou também salvar seu servo, visto que Jonas não foi apenas engolido por um peixe, foi também engolido por ideias e sentimentos maus. O Deus que tirou Jonas de dentro do Peixe, agora quer tirar de dentro de Jonas os males de que dominam sua alma.

Jonas foi engolido por um nacionalismo idolátrico, seu amor por sua pátria (Israel) suplantava seu amor pelo Criador e pelas pessoas. Jonas também foi tomado por motivações erradas. Ele obedeceu a Deus indo a Nínive, porém pelo motivo errado. Para Deus não basta fazer a coisa certa. É preciso fazer a coisa certa com a motivação certa. Por fim, Jonas imergiu num materialismo insano. Valorizou mais coisas, do que pessoas. Prova disso é sua profunda tristeza pela morte de uma planta, em face a sua insensibilidade e indiferença para com os 120 mil ninivitas.

Deus buscou salvar os ninivitas de suas práticas pecaminosas, bem como Jonas de seus sentimentos pecaminosos. Por isso para mim, o Deus que se revela em Jonas é um Deus que se importa não somente com o que fazemos, mas também com o que sentimos!

Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Salmos 42.5

Que assim como o salmista tenhamos a capacidade de apresentar nossas almas inquietas e amarguradas diante Daquele que também se importa com o que sentimos.

Weslei Pinha

 

 

 

 


Deixe seu comentário