Browse Category

Artigo

O QUE PENSO SOBRE A VACINA

1 – PENSO QUE HÁ UMA CRUEL E INJUSTA POLÍTICA CONTRA VACINAS JÁ Á ALGUM TEMPO, mas que nos últimos anos ganhou muita força graças à efusão das redes sociais, onde não sei por que, tende-se a acreditar em tudo que se posta.  Essa política contra vacinas é na maioria das vezes fruto de meras teorias de conspiração (que, diga-se de passagem, muita gente gosta), mas que sem provas não passam de especulações interessantes, envolventes, mas terrivelmente mentirosas e destrutivas.

2 – NÃO SÓ PENSO, TEMOS PROVAS! QUANTAS VIDAS JÁ FORAM SALVAS ATRAVÉS DAS MUITAS VACINAS DESENVOLVIDAS E APLICADAS NO BRASIL. A poliomielite (paralisia infantil) que assombrou o Brasil com surtos durante todo século passado, causando paralisia e mortes em crianças, foi erradicada do país devido à imunização. Outras doenças, como sarampo, tifo, febre amarela, difteria, tuberculose, coqueluche, tétano e gripe deixaram de ser grandes ameaças devido ao controle de campanhas de vacinação.

3 – PENSO QUE AS PESSOAS ESTÃO MUITO EQUIVOCADAS SOBRE O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE VACINAS NO BRASIL. Estão dizendo que não vão tomar a vacina por que ela gera outras doenças e até mata. É preciso que se entenda que testes (não poucos) são realizados quando ás vacinas aqui chegam. É preciso que se entenda que existem órgãos controlados pelo GOVERNO FEDERAL para fazerem todos os tipos de testes e avaliações até que cada vacina seja declarada segura e eficaz para população.

4 – PENSO QUE SE ALGUÉM POR QUESTÕES PROFUNDAMENTE IDEOLÓGICAS não consegue aceitar estes argumentos e estão decididos a não tomarem a vacina oriunda da China, que aqui no Brasil passa por rigorosa avaliação, testes e produção via o Butantã e outros laboratório e supervisão do GOVERNO FEDERAL, que não se abstenha de tomar a vacina oriunda então de outros países.

NESSE CONTEXTO, VACINAR-SE NÃO SERÁ APENAS UMA QUESTÃO DE SAÚDE, MAS DE AMOR! A vacinação reduz o contágio, produz imunidade, diminui o agravamento da doença e evita mortes.

Sei que sou uma pequena voz em um mundo de vozes, mas que essa voz lhe conduza a uma reflexão equilibrada desse momento e necessidade ímpar que estamos vivendo.

Weslei Pinha

JESUS É NOSSO SÁBADO!

“Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir”. Mateus 5.17

Quando Jesus afirma que veio cumprir a lei, ele está afirmando o que também foi reafirmado pelos apóstolos – Toda a lei mosaica: Os ofícios (Rei, sacerdote e profeta), as cerimonias religiosas e bem como as normas judaicas tem pleno cumprimento na pessoa de Cristo. Para os escritores da carta aos Colossenses (2.17) e aos Hebreus (10.1), todos estes elementos da Antiga Aliança eram apenas “sombras” daquilo que seria vivido e realizado de forma perfeita através do Cristo de Deus.

Shabbat ou sábado vem do verbo “cessar”, “parar” de fazer alguma coisa. Na prática, a lei a respeito do sábado visava o cessar das atividades para o descanso físico e dedicação de culto ao Senhor. Mas como já afirmamos, tendo cumprido seu propósito, os ritos da antiga aliança foram abolidos, pois alcançou seu pleno cumprimento em Cristo, inclusive o sábado – visto que Cristo é o verdadeiro descanso para o corpo e a alma humana. Certa feita ele declarou:

Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois meu jugo é suave e meu fardo é leve. Mateus 11.28-30

“Cansados e sobrecarregados” são os dois grupos de pessoas que receberam o gracioso convite de Jesus. Cansados no grego é kopos, segundo Charles Swindoll Jesus usou esse mesmo termo em Mateus 6.28 para descrever a aflição do ansioso. Dessa forma, Jesus se apresenta como “sábado”, como descanso para pessoas exaustas, cansadas e angustiadas de alma. Os sobrecarregados eram aqueles que carregavam um peso maior do que podiam suportar, nesse caso, os pesados fardos da religião judaica com suas intermináveis, inflexíveis e exageradas regras. Segundo Jesus os fariseus “atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los”. Aos sobrecarregados, Jesus também se apresenta como “sábado”, Ele os convida a trocar o pesado fardo do legalismo religioso por um “jugo suave e leve”. Diferente dos fariseus, a mensagem de Jesus (o Evangelho) é adequado e prazeroso já que quem aceita seu convite vive a mais intensa de todas as relações de amor.

Jesus é nosso Sábado! Nosso descanso hoje, agora. Mas também o é numa perspectiva escatológica. O escritor aos Hebreus 4.9,10 afirma: Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus; pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas.

O eterno “Sábado”, o eterno descanso com Cristo no seu Reino de paz e justiça!

Weslei Pinha

GUARDE O SEU CORAÇÃO

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às saidas da vida. Provérbios 4.23

Para a biologia (ciência estuda a vida), esse órgão de cerca de 250 a 300 gramas é responsável por bombear ou fazer o sangue circular por meio dos vasos sanguíneos por todo corpo humano. Nesse processo o lado direito do coração recebe sangue pobre em oxigênio, que é lançando aos pulmões, que por sua vez devolve para o lado esquerdo do coração sangue rico em oxigênio, que é lançado no nosso sistema circulatório. Esse processo que leva segundos é vital a vida animal.

Nos tempos bíblicos pensava-se que nossos pensamentos, decisões e sentimentos vinham do coração. O coração na Bíblia é apresentado como uma espécie de “centro de controle” de toda a vida. Por isso os personagens Bíblicos tinham muita preocupação com o coração. É por conta dessa concepção, dessa forma de entender o coração que Davi orou assim no Salmo 51: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro…”

Hoje sabemos que o coração nada tem haver com tomada de decisões, sentimentos e pensamentos. Sendo assim, como devemos entender os textos bíblicos que tratam do coração? Coração na Bíblia deve ser entendido como interioridade, o mais íntimo do ser ou lugar mais profundo da mente humana.

Veja o que Jesus diz em Marcos 12.30: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração…” Se o coração é apenas uma bomba que promove a circulação do sangue, o que Jesus estava querendo dizer quando nos ensinou a “Amar a Deus de todo coração”? Resposta: Ame com todo o seu ser! Que o amor a Deus seja algo que brote da sua interioridade, tome conta de tudo que você é, e seja manifestado, evidenciado através de todas as suas ações.

Depois de tudo isso, como fica Provérbios 4.23? – Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem às saidas da vida.

“Guardar o coração” é cuidar do interior, cuidar dos pensamentos, sentimentos e desejos. Por isso, guarde seu coração se protegendo da insatisfação e do descontentamento; Guarde seu coração se protegendo da sutil sedução do pecado; Guarde seu coração se protegendo da amargura de alma, seja pela vida, seja pelo próximo; Guarde seu coração se protegendo da incredulidade, da falta de fé; Guarde seu coração e se proteja da falta de esperança.

Sabendo da complexidade da nossa interioridade e de como somos volúveis e instáveis, o Criador deixou um importante aviso de alerta em Jeremias 17.9,10:

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos…

Weslei Pinha

 

 

NOSSA NECESSIDADE DE TRANSCENDÊNCIA

Transcendência na teologia é realidade Divina para além da realidade humana. Realidades que não são excludentes, mas que se unem por meio da ação imanente e intervencionista do Deus Altíssimo e Pessoal. Quando afirmamos da nossa necessidade de transcendência, falamos simplesmente da nossa necessidade de Deus.
É fato que o homem carrega consigo algumas necessidades, tais como: Fisiológicas, Sociais e Emocionais. A necessidade fisiológica fala da nossa necessidade de alimento, líquido ou sólido. Necessidade social fala da nossa necessidade de gente, de outras pessoas para compartilhamos a vida, já que nós não nos bastamos. A necessidade emocional fala da nossa necessidade de afeto, valorização e amor. E assim como essas, há também em nós uma eterna e profunda necessidade de Deus. Uma necessidade que se explica pela nossa origem, como afirma o autor do Gênesis 1.26,27:
E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
O teólogo e filósofo cristão Agostinho de Hipona, em seu livro “Confissões” diz: Por que tu nos fizeste para ti, e o nosso coração permanecerá inquieto enquanto não repousar em Ti. O Pastor Jonas Madureira comentando essa fala de Agostinho em seu livro “Inteligência Humilhada”, afirma: O coração humano só encontrará repouso quando reencontrar sua origem – Deus.
Tratando de uma suposta crise existencial misteriosa, C.S Lewis em seu livro “Cristianismo Puro e Simples” diz: Se eu encontro em mim um desejo que nenhuma experiência desse mundo pode satisfazer, a explicação mais provável é que eu fui feito para um outro mundo.
O que Lewis está dizendo é que certa inquietude aparentemente inexplicável, sem causa aparente é na verdade nossa necessidade de transcendência. Uma necessidade só satisfeita por “um outro mundo”, por uma outra realidade para além dessa , a qual chamamos de Céu!
Aos gregos atenienses o apóstolo Paulo afirmou: “Porque nele (Deus) vivemos, nos movemos, e existimos…” Atos 17.28. Comentando esse texto o Pastor Edrene Kivitz compara: “É na água que o peixe vive, se move e existe. Se você tirar o peixe do seu habitat natural, logicamente ele morrerá. Deus é nosso habitat natural! Viemos de Deus, com o propósito de existirmos em Deus!
Por tudo isso, é verdadeira a famosa frase atribuída ao filósofo Russo Fiódor Dostoiévski – Existe no homem um vazio do tamanho de Deus.
Weslei Pinha

IGREJA É MAIS NÓS DO QUE EU

Durante muito tempo e ainda hoje ouvimos a afirmação: “Eu sou a Igreja” ou “Você é a igreja”. Não há nada de errado nessas afirmações. Mas o sentido mais pleno, mais completo, mais verdadeiro de Igreja na teologia do Novo Testamento não está no individual, mas no coletivo. Perceba:
1 – A ETIMOLOGIA DA PALAVRA. A palavra grega para igreja é ekklesia. Os gregos tinham uma ekklesia que nada mais era que uma assembleia popular democrática que reunia representantes da sociedade para tratar de assuntos políticos e sociais. Quando Jesus disse: “edificarei a minha igreja” Ele estava dizendo: Assim como os gregos tem sua ekklesia eu também terei a minha. Uma ekklesia, uma assembleia de Deus de pessoas chamadas para a adoração e propagação do evangelho.
Perceba que a palavra Igreja em sua origem não trás consigo a ideia de uma pessoa, mas de várias (Ekklesia/Assembleia). Sendo assim, igreja em seu sentido mais pleno não é individual, mas coletivo, não é singular, mas plural, não é eu, mas nós!
2 – A FORMA QUE OS ESCRITORES DO NOVO TESTAMENTO SE REFEREM À IGREJA. A palavra Igreja aparece mais de 100 vezes no Novo Testamento e em nenhuma delas os autores a cita fazendo referência a uma única pessoa, mas sempre trazendo a ideia de comunidade. Dessa forma, com base tanto na Etimologia como na Teologia, só somos PLENAMENTE Igreja juntos, na Koinonia de Deus, ligados na mesma fé e esperança.
ENTENDER QUE IGREJA É COMUNIDADE TRÁS CONSIGO PELO MENOS 4 VERDADES:
1- É IMPOSSÍVEL SER GENUINAMENTE IGREJA SOZINHO. É estranho para o Novo Testamento um discípulo sem uma comunidade de fé.
2- SER IGREJA NO COLETIVO É MAIS DO QUE ESTAR NOS CULTOS. A palavra grega para comunhão na bíblia é Koinonia que significa compartilhar a vida. Dessa forma Koinonia nos chama para algo mais profundo do que simplesmente estar nas celebrações.
3- SER IGREJA É IMITAR DEUS. Deus é Trino (Pai, Filho e Espírito Santo). Portanto Deus é uma pequena comunidade de três pessoas. E sendo nós formados a sua imagem e semelhança, sua vontade é que vivamos também de forma comunitária.
4 – DEUS SE MANIFESTA MAIS PLENAMENTE NA VIDA COMUNITÁRIA. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. Mateus 18.20
Dessa forma, Igreja é mais Nós do que Eu!
Weslei Pinha
Esse é o artigo de número 100 do blog! Viva!!!!!!!!!!!!!!

SOBRE HONESTIDADE

Um grupo de publicanos tomados de arrependimento pela ungida pregação de João Batista pergunta: Como devemos viver de agora para frente? João então responde: “Não cobrem nada além do que lhes foi estipulado” (Lucas 3.13). Em outras palavras: Vivam de forma honesta!

Estes publicanos ou cobradores de impostos eram judeus e funcionários do Império Romano. Cobravam de seus compatriotas taxas sobre importações e exportações, tarifas rodoviárias e pedágios. Por pelo menos dois motivos os publicanos eram odiados pelos judeus: 1 – Porque eram vistos como traidores do povo. Pois serviam voluntariamente a nação opressora, Roma. 2 – Porque tinham a fama de serem praticantes de extorsões. Cobravam taxas exorbitantes, bem acima do que era estipulado. Dessa forma, havia uma cultura de corrupção entre os publicanos. Sabedor disso João Batista lhes exorta dizendo: “Não cobrem nada além do que lhes foi estipulado”.

Essa cultura de corrupção entre os publicanos me faz pensar, em nossa sociedade e nossa também cultura social de corrupção. E quando falo em corrupção, não estou me referindo apenas aos escandalosos crimes praticados há décadas por nossos políticos. Penso e falo da corrupção nossa do dia-a-dia.  Não respeitar o sinal vermelho, corta fila, ficar com o troco recebido a mais, vender voto, comprar e não pagar, instalar SKY pirata, mentir ou falsificar documentos para comprar bens, sonegar impostos, não honrar com o salário ou direitos trabalhistas de funcionários e etc.

Infelizmente o povo brasileiro está longe de ser considerado um povo honesto. Por alguns somos vistos como o país da malandragem. É claro que nem todo brasileiro é desonesto, lógico. Mas eu e você havemos de concordar que boa parte do nosso povo infelizmente está sempre disposto tirar vantagem em alguma coisa. É o famoso “jeitinho brasileiro”.

Em meio a tanta malandragem, tanta corrupção, tanta desonestidade, a Palavra de Deus através de João Batista para nossas vidas é: “Não cobrem nada além do que lhes foi estipulado”. Vivam de forma honesta!

Honestidade segundo João Batista é evidência de conversão.

7 MOTIVOS TEOLÓGICOS PARA A HONESTIDADE:

 1 – Desonestidade não é o propósito de Deus para vida do homem. Deus é Santo e sua criação deve ser Santa.

2 – Jesus é nosso modelo de honestidade. “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna”. Mateus 5.37

3 – A Bíblia nos chama a todo tempo à honestidade. “Aquele que roubava não roube mais; pelo contrário, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom…” Efésios 4.28

4 – Ser desonesto é pecar contra o próximo. “O que oprime ao pobre insulta aquele que o criou…” Provérbios 14.31

5 – Jesus chama seu povo a ser sal e luz do mundo. “Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar”? Mateus 5.13

6 – Desonestidade gera mais desonestidade. “Quem gera a maldade, concebe sofrimento e dá à luz a desilusão”. Salmos 7.14

7 – Um dia Deus punirá todo desonesto. “Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto…” Eclesiastes 12.14

Weslei Pinha

AS BEM-AVENTURANÇAS e EU

BEM-AVENTURADOS OS POBRES EM ESPÍRITO…

Que eu abandone o orgulho e reconheça minha total insuficiência e incapacidade. Que minha confiança esteja somente em Ti e em teus santos recursos.

BEM-AVENTURADOS OS QUE CHORAM…

Que eu seja quebrantado. Que eu me derrame diante de Ti, diante dos meus pecados e diante das dores do próximo.

BEM-AVENTURADOS OS MANSOS…

Que eu seja humilde. Que eu tenha a exata compreensão de quem sou – pó, barro. Alguém totalmente dependente de Ti e dos outros.

BEM-AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DE JUSTIÇA…

Que eu tenha gana por justiça. Que eu identifique as injustiças e lute contra elas, procurando sempre ficar do lado dos injustiçados e dos menos favorecidos.

BEM-AVENTURADOS OS MISERICORDIOSOS…

Que eu procure diminuir a dor dos que sofrem e que o pecador encontre em mim paciência e perdão.

BEM-AVENTURADOS OS LIMPOS DE CORAÇÃO…

Que eu busque cura e transformação interior. Para que tudo que eu expresse no público seja de fato resultado daquilo que eu sou por dentro.

BEM-AVENTURADOS OS PACIFICADORES…

Que eu não apenas tenha paz com os outros, mas que eu promova paz entre os desunidos, promova aliança entre os separados e perdão entre os magoados.

BEM-AVENTURADOS OS QUE SOFREM PERSEGUIÇÃO POR CAUSA DA JUSTIÇA…

Que eu tenha coragem de lutar pelas causas do Reino a despeito das críticas e das incompreensões.

Weslei Pinha

ANSIEDADE

O Dicionário de Língua Portuguesa define ansioso como aquele que demonstra inquietação; que exprime angústia; angustiado, inquieto. Quanto sua etimologia, a palavra ansioso vem do Latim anxietas, “angústia, ansiedade”, “apertar, estreitar”, “mente perturbada, pouco à vontade”. Já no grego a palavra é merimnas, um composto de duas palavras gregas, “merizo”, “divide”, e “nous”, “a mente”. Dessa forma, o estado de ansiedade é também um estado de mente dividida entre o hoje e o amanhã, o presente e o futuro, o real e o imaginário.

Em condições de ansiedade nosso corpo libera substâncias químicas no sangue, como a adrenalina, que nos prepara para reação diante de um perigo real, luta ou fuga. Essa reação química do organismo é fundamental para preservação da vida ou para situações que exige total estado de atenção.

O problema é que quando nos preocupamos de forma exagerada com algo, o corpo entende que estamos em situação de risco real e passa a liberar mais e mais adrenalina. Dessa forma, quem vive um estilo de vida marcado pela ansiedade, poderá ter várias descargas de adrenalina na corrente sanguínea durante o dia. Gerando assim, consequências desastrosas à saúde física e emocional.

Diante disso, entendemos que há a ansiedade benéfica, natural e necessária, que nos prepara para situações de ameaça, nos colocando em total estado de alerta e vigilância. O que não é natural e nem um pouco benéfico, mas altamente danoso, é a ansiedade fruto dos medos imaginários e preocupações irreais e fúteis, que “engana” o organismo fazendo-o entender que estamos em perigo. Essa combinação de ansiedade desnecessária e adrenalina trará consigo graves consequências a vida do ansioso.

A ansiedade sempre foi um sentimento presente na vida dos seres humanos, porém, hoje, a ansiedade constitui-se na mais grave doença emocional do nosso tempo. Para constatar essa afirmação basta olhar para nós mesmos ou a nossa volta para perceber como as pessoas estão cada vez mais preocupadas, angustiadas e apressadas. Sem falar em como cresceu a produção de ansiolíticos e como estão abarrotados os consultórios dos profissionais que tratam da mente humana. Para Augusto Jorge Gury, escritor brasileiro e psiquiatra, a ansiedade constitui-se hoje no mal do século. Um sentimento com profundos efeitos no corpo e na mente humana capaz de interferir profundamente na nossa forma de viver.

Sabedor dos danos da ansiedade no corpo, na mente e na espiritualidade, Jesus ordenou aos seus ouvintes: “Não andeis ansiosos…” Mateus 6.25.

Do também Ansioso, Weslei Pinha

DESCUBRA SE VOCÊ É ORGULHOSO

O orgulho não se limita ao excesso de admiração que o indivíduo tem em relação a si próprio ou ainda ao entendimento e atitude de superioridade em relação aos outros seja por características, qualidades ou ações. Se esses forem os únicos traços na personalidade do orgulhoso, então poucas pessoas se identificarão como tal. Existem, porém outras peculiaridades muito sutis, quase imperceptíveis, que até se confundem como virtudes dignas de louvor, mas que na verdade apontam e denunciam nosso profundo, escandaloso e maligno orgulho.

1 – Importância demasiada com a aparência. Atitude também conhecida como vaidade, que assim como o orgulho se expressa de muitas formas, dentre elas através da atenção exagerada e doentia quanto a estética.

2 – Importância demasiada com a performance. Em outras palavras você é perfeccionista. Alguém que sente constante insatisfação com seu desempenho e dúvidas sobre a qualidade de seu trabalho. Para o pastor Ed René Kivitz, o perfeccionismo é uma forma de vaidade e orgulho da pior espécie.

3 – Importância demasiada com a reputação.  A base do problema aqui não é quanto a importância do exemplo, mas simplesmente com a opinião pública, a avaliação alheia, o que acham e pensam ao seu respeito. Dessa forma toda sua suposta moralidade tem como objetivo a manutenção e ostentação de sua boa imagem nos espaços onde frequenta.

A isso podemos incluir a dificuldade que essa pessoa terá de reconhecer seus erros, já que para reconhecê-los terá que assumir o papel de vilão da história. E dessa forma se colocar em  posição humilde na busca pelo perdão.

4 – Importância demasiada com a valorização. Por o orgulhoso se sentir e perceber-se muito importante e essencial, ele não suportará ser esquecido e certamente será tomando de revolta e angustia diante de uma possível falta de importância. Homenagens, elogios, aplausos, apresentação de currículo, destaque e atenção, são vitaminas (ou venenos) para o orgulhoso.

Talvez você e as pessoas que lhe rodeiam não lhe percebam como orgulhoso na perspectiva do senso de superioridade, muito pelo contrário, talvez nesse particular você até revele certa humildade, mas em outras situações (como foi demonstrado), o orgulho lhe ronda e domina.

Para C.S Lewis, se alguém deseja adquirir humildade deve dar um primeiro passo, que é reconhecer o próprio orgulho. Trata-se de um passo bem grande. E nada poderia ser feito antes disso.

De Weslei Pinha, alguém em busca de cura para o orgulho!

O ORGULHO SEGUNDO C.S LEWIS

Em seu livro Cristianismo Puro e Simples, Lewis chama o orgulho de o “Grande Pecado”. De acordo com os mestres cristãos, o pecado capital, o mal supremo, é o orgulho. Foi pelo orgulho que o diabo se tornou diabo. Em outro de seus escritos, Lewis afirma que o orgulho é o pecado que o diabo ensinou aos homens. Orgulho é o mais completo estado da alma, anti-Deus.  Porque orgulhar-se, é primariamente decidir viver e tomar decisões à parte de Deus. Orgulhar-se é deixar de ouvir Deus, para ouvir a serpente.

Quanto mais orgulhosa for uma pessoa, mais ela detesta o orgulho nas outras. Na verdade, se você quiser descobrir o quanto é orgulhoso, a forma mais fácil de fazê-lo é perguntar-se: “Quanto eu detesto quando outras pessoas me inferiorizam ou se recusam a me dar atenção, ou dão palpite, ou são condescendentes comigo, ou são exibidas”?

O orgulho tem sido a causa principal da desgraça em todas as nações e todas as famílias desde a criação do mundo. O orgulho sempre significa inimizade – ele é a inimizade em pessoa. E não apenas inimizade entre pessoas, mas inimizade para com Deus. Enquanto você for orgulhoso, não poderá conhecer Deus. Sempre que nossa vida religiosa está nos fazendo pensar que somos bons – melhores do que os outros –, certamente estamos sendo influenciados não por Deus, mas pelo diabo. A prova real de que você está na presença de Deus é que você ou esquece completamente de si ou se vê como objeto pequeno e sujo. O orgulho é um câncer espiritual, tendo em vista que corrói a própria possibilidade de amor, ou de contentamento, ou mesmo de bom senso.

O orgulho é essencialmente competitivo. O orgulho não tem prazer em ter algo, mas apenas em ter mais que o próximo. É a comparação que faz uma pessoa orgulhosa: o prazer de estar acima dos demais. Uma pessoa orgulhosa sempre está desdenhando de coisas e pessoas.

A vaidade é um tipo de orgulho. A pessoa vaidosa deseja demais elogio, aplauso e admiração e está sempre os buscando. O que dentre outras coisas, mostra que você ainda não está completamente satisfeito com sua admiração própria. Você valoriza as outras pessoas o suficiente para querer que elas olhem para você.

Se alguém quer adquirir humildade penso que poderia lhe dizer qual é o primeiro passo: Reconhecer o próprio orgulho. Trata-se de um passo bem grande. E nada poderia ser feito antes disso.

C.S Lewis do livro “Cristianismo Puro e Simples”. Adaptação Weslei Pinha