A HISTÓRIA DE UMA MÃE

A mãe da nossa história tem nome, seu nome é Joquebede. Ela já é mãe de dois filhos, Miriam e Arão e agora está grávida do terceiro filho. Sem dúvidas esta será a gravidez e o parto mais difícil de Joquebede. Uma gravidez que será marcada por muita aflição.

A Bíblia informa que nos dias que os Israelitas ainda estavam no Egito um Faraó mal assumiu o poder e passou a ver os descendentes de Abraão como uma grande ameaça. Então deu as parteiras a seguinte ordem: “Todo recém-nascido do sexo masculino das israelitas vocês devem mata-los”. Foi em meio a esse decreto real que Joquebede ficou grávida. Que contexto triste e cruel para uma gravidez. Sem dúvidas parte desses nove meses de gestação foram marcados por muita angústia. A cruel dúvida entre menino e menina e suas implicações tiravam o sono de Joquebede.

Passado o tempo da gestação, Joquebede começa sentir dores e contrações, a criança quer nascer, as parteiras assassinas que receberam ordens do Faraó para tirar a vida dos bebês são chamadas. O bebê de Joquebede vem ao mundo, e para sua momentânea tristeza é um menino e isso significa morte. Mas um milagre acontece, as parteiras são tocadas pelo Criador e poupam a vida da criança.

Joquebede está aliviada pelo menos por agora, pois Faraó ficou sabendo que as parteiras não estão cumprindo suas ordens. Por isso ele decide colocar seus guardas para verificarem se há bebes machos nas casas dos israelitas. Joquebede esconde seu bebê. E este é mais um tempo de aflição para ela.

Passado cerca de três meses Joquebede não consegue mais ocultar, esconder seu filho. Ela então toma uma difícil e dolorosa decisão _ Lançar seu filho sobre às águas do Rio Nilo. Prepara um cesto, veda bem vedado para não entrar água e certamente com abundância lágrimas nós olhos se despede de seu filho que certamente será devorado pelos crocodilos existentes no Rio. Miriam irmã da criança, muito curiosa e astuta, acompanha de longe a viagem do seu irmão pelo Nilo. Por providência e não por coincidência a filha de Faraó e suas criadas estão naquele exato momento a banhar-se no Rio. Enquanto ali estão ouvem um choro, vão averiguar, é uma criança do povo de Israel que chora de dentro de um cesto. Naquela hora o Deus que já havia provido livramento e vida em favor de Joquebede, agora age mais uma vez colocando amor no coração da filha de Faraó pela criança.

Miriam irmã do bebê que próximo estava oferece ajuda. Diz à filha de Faraó que poderia encontrar entre as Israelitas uma mulher para amamentar a criança para ela. A filha de Faraó concorda e Miriam chama sua própria mãe para essa tarefa. Joquebede mais uma vez sem acreditar direito em todo que está acontecendo vê à mão de Deus mais uma vez agindo em seu favor e em favor de seu filho.

Quando o menino já está crescido a filha de Faraó o toma para si e passa a lhe chamar de Moisés, porque das águas foi tirado.

Será que assim como Joquebede você é uma mãe que tem vivido profundas e amargas aflições em relação aos seus filhos?

Em todo o tempo de sua aflição Joquebede experimentou a intervenção Divina na sua vida e na vida de seu filho. Dessa forma, creia que mais cedo ou mais tarde você viverá a experiência de Joquebede, a experiência da intervenção Divina!

A história de uma mãe para muitas mães. Feliz Dia das Mães!

Weslei Pinha

 


Deixe seu comentário