A HISTÓRIA DA CRUZ

Dentre as muitas penas capitais ou penas de morte criadas pelo homem a cruz é sem dúvidas a mais cruel.

A crucificação apareceu no mundo muito antes de Cristo, para alguns historiadores a crucificação tem sua origem no povo Assírio por volta do ano 900 a.C. Vizinhos e ferrenhos inimigos de Israel, o povo assírio eram famosos por sua crueldade. Dizem dentre outras coisas, que eles tiravam o coro dos inimigos estando eles ainda vivos. Para muitos, foram eles que começaram com a prática de pendurar pessoas em estacas. Os inimigos derrotados pelo povo assírio eram cravados de barriga em uma estaca pontiaguda e abandonados ao relento para morrerem de forma leta e cruel.

Posteriormente a prática de pendurar pessoas a estacas foi também usada por outros povos, como persas e gregos, mas foram os romanos que pela primeira vez utilizou uma cruz como meio de tortura e morte.

A crucificação romana destinada a escravos desobedientes, líderes rebeldes e criminosos, seguia um roteiro principiado por uma cruel e desumana tortura. Muitos chegavam a morrer antes mesmo de chegarem à cruz de tão severa eram essas sessões de agressão. Posterior à tortura, o condenado carregava a cruz ou a parte horizontal (patibulum) até o local da crucificação. Ao chegar ao lugar, a vitima era pregada nua a cruz e junto com uma placa que anunciava seu crime.

A crucificação não tinha como objetivo apenas matar, mas também prolongar o sofrimento. A morte raramente ocorria antes de 36 horas. Jesus morreu de forma rápida. Ele foi crucificado às 9hs da manhã de sexta e morreu às 15hs da tarde. Jesus passou pouco mais de 6 horas na cruz. Sua morte repentina pode ser explicada pela severa sessão de espancamento antes da crucificação. Às vezes a morte era acelerada quebrando-se as pernas das vítimas ou com um forte golpe abaixo da axila.

A maior crucificação de que se tem conhecimento ocorreu no tempo do imperador Pompeu (71 a.C). No episodio denominado revolta dos 200 mil escravos sob a liderança de Espártaco, os soldados romanos crucificaram em um só dia 6 mil rebeldes.

A crucificação foi abolida pelo imperador Constantino no século IV.

Weslei Pinha


Deixe seu comentário