7 TRISTEZAS POLÍTICAS

Meu objetivo não é demonizar a política ou levar pessoas a sua alienação. Muito pelo contrário, defendo o engajamento político e o voto consciente. O problema é que estamos transcendendo essas realidades e entrando num capo perigoso, que sai da boa política e adentra em práticas nocivas e destrutivas. Exemplo:

1 – INTOLERÂNCIA

Intolerância é a ausência de respeito por aquele que pensa e agi de forma diferente. É também evidenciado por atitude odiosa, preconceituosa, discriminatória e agressiva. É a incapacidade de dialogar e conviver pacificamente com o diferente. Hoje muitas pessoas não estão conseguindo discordar sem odiar.

2 – VOTO LEGALISTA

Voto legalista é o voto que tem como principal motivação a aprovação ou desaprovação de leis. Algo que sim, deve ser levado em conta. Mas não pode ser o único parâmetro para escolha de um candidato. Não é só de leis que vive uma nação ou se governa um país. Questões primárias como saúde, educação, segurança e combate a corrupção e pobreza devem ser prioridades. Se não for assim, o voto legalista se tona também um voto egoísta.

3 – XENOFOBIA

De segunda-feira pra cá uma enxurrada de manifestações xenofóbicas permearam as redes. Uma verdadeira disseminação de ódio e preconceito em relação ao voto nordestino. Quantas foram às pessoas que vincularam o voto nordestino a incapacidade mental e tantas outras ofensas cruéis? Até parece que Haddad nunca foi prefeito de São Paulo.

4 – A TIRANIA DO RÓTULO

Em seu sentido próprio rotular é colocar rótulo ou etiqueta em objetos a serem comercializados. O rótulo social por sua vez é a prática de definir pessoas através de fontes superficiais e insuficientes, onde na maioria das vezes essa ação precipitada e até caluniosa tem como motivação principal o preconceito. Hoje está assim… se alguém fala de justiça social logo é rotulado de comunista. Por outro lado, se alguém revela amor a pátria e desejo de ordem logo é rotulado de fascista.

5 – PAIXÕES DESMEDIDAS

Perda de equilíbrio, de dialogo e lucidez, são alguns prejuízos de uma política passional. Assim como nas relações humanas a paixão desmedida tem a capacidade de cegar, no campo político acontece o mesmo. Eleitores apaixonados têm sérias dificuldades de perceber desvios de caráter, crimes, erros e contradições em seus candidatos.

6 – O SISTEMA CONTRA TODOS

Por favor, me respondam uma pergunta: O sistema (a isso incluo as instituições e a mídia) é de esquerda ou direita? A esquerda afirma que a mídia e as instituições são golpistas, por isso são de direita. Já a direita afirma que o sistema é contra eles, já que não combatem a corrupção e não promovem o bem moral. A final a Globo, o STF e o STE estão do lado de quem? Será que eles realmente tem um lado?

7 – A FEBRE FAKE NEWS

Fico admirado com a capacidade das pessoas em criar e transmitir notícias falsas. Isso tanto do lado direito, quanto do lado esquerdo. No primeiro caso me surpreende a maldade, no segundo a ingenuidade de se acreditar em absolutamente tudo que se passa pelas redes. Não fazem uma única verificação da informação e já vão repassando. Ato que o não difere em nada do criador da Fake. Acho que algumas pessoas se esqueceram quem é o pai da mentira.

Weslei Pinha


Deixe seu comentário