VICIADOS EM IGREJA

Com certeza você já ouviu falar de pessoas viciadas em álcool, cigarro, crack, internet ou jogos de azar, mas em igreja acho pouco provável. Porém, esse é um vício real, e talvez com maior número de “usuários” e “dependentes” se comparado com outros vícios. E assim como os demais vícios nocivos citados a cima, o vício em igreja é também algo danoso e destrutivo.
Sei que essa afirmação assusta, visto que o conceito que se tem de Igreja é de um ambiente saudável onde se ensina os elevados valores bíblicos como amor, paz e respeito. Porém, essa reflexão não tem como objetivo desprezar a igreja, mas advertir aos seus frequentadores quanto ao risco de se tornarem verdadeiros dependentes de igreja, pessoas tão entregues ao espaço religioso, que não conseguem viver, desenvolver sua fé sem a instituição.

Pense na seguinte hipótese: Seu pastor após uma relevante pregação sobre vida cristã anuncia ao final da mensagem que a igreja permanecerá fechada sem desenvolver qualquer atividade por um período de 30 dias. Qual seria a reação dos membros dessa comunidade? Será que eles conseguiram manter as disciplinas cristãs sem a igreja? Será que se manteriam fieis ao Senhor? Quantos se afastariam do Caminho?

Entendeu agora o que quero dizer quanto ao vicio e dependência de igreja? A igreja é uma obra de Deus, a igreja é uma comunidade de discípulos que adora a Deus e serve o próximo, porém pela nossa infeliz superficialidade na relação com Deus, transformamos a igreja em uma muleta e nós em meros consumidores de religião.

Veja algumas características de pessoas viciadas em igreja:
1 – Contato com Deus restrito ao contato com a Igreja
2 – Prática de princípios bíblicos restritos a Igreja
3 – Desenvolvimento de valores limitados aos programas da Igreja
4 – Ação no Reino de Deus reduzida aos cargos na Igreja
5 – Espiritualidade limitada a Igreja

Essa dependência não é a vontade de Deus para seu povo. A igreja primitiva permaneceu por séculos sem templos e isso não os impediu de deixar um legado de fé, triunfo e comunhão com o Senhor.

A igreja do primeiro século não tinha templo, mas tinha vida. Hoje temos muitos templos e pouca vida.

Weslei Pinha


Deixe seu comentário