PSEUDO SANTIDADE

A ordem bíblica expressa direta e indiretamente nas Escrituras é que os seguidores de Cristo vivam uma vida santificada. O que não tem nada haver com perfeição, mas com a busca incessante pela separação daquilo que é iníquo. Porém, da mesma forma que existe a verdadeira santificação expressa nas Escrituras, existe também a pseudo santidade, que é a expressão ou prática meramente humana e totalmente divorciada daquilo que a Bíblia de fato ensina.

Certamente a expressão máxima de uma falsa santidade pode ser encontrada no estilo de vida dos religiosos dos tempos de Jesus, os chamados fariseus. Fariseu é o mesmo que separado e assim como o significado do nome, eles se empenhavam em levar uma vida de separação ou santificação. No entanto, uma santificação totalmente hipócrita, incoerente e antibíblica. Diante disso, vejamos como era e como é praticada a pseudo santidade.

A PSEUDO SANTIDADE É EXTERIOR

Os fariseus sabiam da influência que o externo exerce sobre as pessoas. Por isso caprichavam no uso de roupas longas, usos de filactérios (caixinha amarrada na cabeça contendo textos bíblicos), bem como na prática de orações em lugares públicos, com o único objetivo de serem vistos pelos homens. Essas ações meramente externas, que constitui-se em uma pseudo santidade  foi duramente criticada por Jesus: Fariseu cego! Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo. Mateus 23.26

É também através do externo que o farisaísmo moderno prática a ostentação espiritual de uma falsa santidade.

A PSEUDO SANTIDADE PRIORIZA O QUE É SECUNDÁRIO

É incrível a capacidade que os fariseus modernos tem de “coar o mosquito e engolir o camelo”. Ou seja, se importar tanto com aquilo que é secundário e se importar menos com o que é primário. Os fariseus do século XXI, nada diferem dos fariseus do século I, visto que continuam priorizando tradições, regras, espaços religiosos e “negligenciando o mais importante da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade”.

A PSEUDO SANTIDADE É SELETIVA

Enquanto a Palavra de Deus ordena que devemos ser santos em toda nossa forma de viver, a pseudo santidade negligencia isso colocando a santidade em prática em algumas áreas da vida. Ela é seletiva, escolhe e seleciona alguns mandamentos a serem obedecidos ou áreas da vida que devem ser santificadas.

A PSEUDO SANTIDADE É PÚBLICA

Está aqui uma das grandes farsas da falsa santidade. É que ela só se manifesta na coletividade, em público ou diante dos olhos humanos. Porém, bem mais do que ostentar uma santidade em público, Jesus nos chama para uma santidade que alcance nossa individualidade, o privado, o estar sozinho. É a perturbadora pergunta de Byll Hybells: “Quem é você quando ninguém está olhando?”

Weslei Pinha


Deixe seu comentário