PAIS AUSENTES, FILHOS DOENTES!

Ficou Absalão dois anos inteiros em Jerusalém e não viu o rosto do pai… II Samuel 14.28

O texto revela algo terrível sobre o homem segundo o coração de Deus. O homem que era próximo de Deus era distante dos filhos. O herói nos campos de batalhas era um vilão no ambiente familiar. O homem que ganhava o mundo perdia a família. Davi era um ótimo rei, mas era um péssimo pai!

É verdade! A vida de um líder nacional é altamente comprometida. Guerras que duravam anos, reuniões militares e administrativas, julgamentos, assuntos econômicos etc, etc e etc. Um pai de muitos filhos e de pouco tempo.

Mas mesmo diante de tantas obrigações, Davi precisava entender (e nós também) que sua maior missão não era ser Rei e sim ser pai. Como consequência de sua ausência, seus filhos manifestaram profundas doenças na alma, bem como terríveis desvios de comportamento. Um pai ausente e muitos filhos doentes!

A negligência paterna de Davi é o retrato perfeito das famílias modernas atuais. Em um tempo onde o ter virou prioridade, pais e mães estão cada vez mais ausentes do lar e da vida de seus filhos. Outros, até que desfrutam de tempo, mas não investem de forma prioritária e criativa na vida dos filhos. E assim como Davi, são heróis e heroínas em todos ambientes, menos no lugar mais importante – na própria casa!

O resultado disso é filhos adoecidos de alma. Mas se a ausência do pai e da mãe na vida de seus filhos geram doenças, a presença é instrumento de cura e de profundas transformações!

Pr. Weslei Pinha, pai e amigo de Fernanda!


Deixe seu comentário