JESUS É NOSSO SÁBADO!

“Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir”. Mateus 5.17

Quando Jesus afirma que veio cumprir a lei, ele está afirmando o que também foi reafirmado pelos apóstolos – Toda a lei mosaica: Os ofícios (Rei, sacerdote e profeta), as cerimonias religiosas e bem como as normas judaicas tem pleno cumprimento na pessoa de Cristo. Para os escritores da carta aos Colossenses (2.17) e aos Hebreus (10.1), todos estes elementos da Antiga Aliança eram apenas “sombras” daquilo que seria vivido e realizado de forma perfeita através do Cristo de Deus.

Shabbat ou sábado vem do verbo “cessar”, “parar” de fazer alguma coisa. Na prática, a lei a respeito do sábado visava o cessar das atividades para o descanso físico e dedicação de culto ao Senhor. Mas como já afirmamos, tendo cumprido seu propósito, os ritos da antiga aliança foram abolidos, pois alcançou seu pleno cumprimento em Cristo, inclusive o sábado – visto que Cristo é o verdadeiro descanso para o corpo e a alma humana. Certa feita ele declarou:

Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois meu jugo é suave e meu fardo é leve. Mateus 11.28-30

“Cansados e sobrecarregados” são os dois grupos de pessoas que receberam o gracioso convite de Jesus. Cansados no grego é kopos, segundo Charles Swindoll Jesus usou esse mesmo termo em Mateus 6.28 para descrever a aflição do ansioso. Dessa forma, Jesus se apresenta como “sábado”, como descanso para pessoas exaustas, cansadas e angustiadas de alma. Os sobrecarregados eram aqueles que carregavam um peso maior do que podiam suportar, nesse caso, os pesados fardos da religião judaica com suas intermináveis, inflexíveis e exageradas regras. Segundo Jesus os fariseus “atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los”. Aos sobrecarregados, Jesus também se apresenta como “sábado”, Ele os convida a trocar o pesado fardo do legalismo religioso por um “jugo suave e leve”. Diferente dos fariseus, a mensagem de Jesus (o Evangelho) é adequado e prazeroso já que quem aceita seu convite vive a mais intensa de todas as relações de amor.

Jesus é nosso Sábado! Nosso descanso hoje, agora. Mas também o é numa perspectiva escatológica. O escritor aos Hebreus 4.9,10 afirma: Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus; pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas.

O eterno “Sábado”, o eterno descanso com Cristo no seu Reino de paz e justiça!

Weslei Pinha


Deixe seu comentário