Felicidade como jeito de viver

Durante muito tempo entendi felicidade como fruto de uma realização pessoal. Como por exemplo, um período da minha vida que pensei que encontraria a felicidade após o casamento. Depois de casar, passei a considerar que além do casamento precisaria de um bom emprego. O bom emprego chegou, mas a alma ainda não se sentia saciada. Então passei a desejar títulos e reconhecimento como meios para alcançar a tão sonhada completude interior. Foi então que depois de anos “correndo atrás do vento” compreendi que a felicidade que segundo o pastor Carlos Queiroz “é um estado da alma, uma condição de se perceber realizado com a vida…” não estava nas realizações pessoais, pois a felicidade não é um lugar aonde se chega, mas como se caminha. É a forma que você dia a dia, momento a momento, situação a situação vive a existência humana. O filósofo Mario Sergio Cortella afirma: “A felicidade é não um lugar aonde se chega depois de um tempo. Cabe a cada indivíduo ir construindo no cotidiano as circunstâncias para que a felicidade venha à tona.” Já o pastor Ed René Kivitz em seu livro Outra Espiritualidade diz que felicidade “não é um lugar aonde se chega, mas sim o jeito como se vai”.

Pensando na felicidade como jeito de viver, o poeta e jornalista brasileiro Mário Quintana nos oferece a seguinte metáfora: “O Segredo da felicidade não é correr atrás das borboletas; é cuidar do jardim para que elas venham até você.” Comentando Quintana, o teólogo e filosofo Leonardo Boff diz: “A felicidade não se encontra ali na esquina nem se esconde atrás de uma polpuda conta de banco. Felicidade resulta de muitas coisas que devem vir antes. É fruto do agir bem e do viver bem. É resultado da construção de um jardim, com afeto e com coração.”

Nada diferente daquilo que Jesus ensinou através das Bem-aventuranças nos primeiros versos do capítulo 5 do evangelho de Mateus. Makarios é o termo grego para bem-aventurado, feliz. Para Jesus os filhos de Deus são felizes quando são humildes, quebrantados, submissos ao Divino, quando lutam pelo que é justo, quando agem com compaixão e graça ou quando promovem a paz.

Hoje não corro mais atrás de borboletas, não busco pelo pote de ouro no final do arco-íris, nem sonho com um lugar aonde eu possa chegar. Descobrir por meio das desilusões e Palavra de Deus que a questão não ter mais, mas ser mais. Ser é o bastante!

Weslei Pinha


Deixe seu comentário