A SÍNDROME DE PETER PAN

Peter Pan é um personagem infantil criado por J. M. Barrie, que há mais de cem anos é representado em peças, filmes e desenhos. O personagem é um pequeno rapaz que se recusa a cresce e passa a vida a ter aventuras mágicas na Terra do Nunca. Nesse lugar mágico, Peter Pan, a fada Sininho, Wendy e outras crianças, travam diversas disputas contra seu arqui-inimigo, o Capitão Ganho.

Assim como na fabulosa e engenhosa história de Barrie, onde sua ilustre criação não cresce, no mundo real também estamos rodeados de pessoas assim, daquelas que não querem crescer, amadurecer, evoluir. A esse mal Dr. Dan Kiley chamou na década de 80 de “A Síndrome de Peter Pan” ou “síndrome do homem que nunca cresce”.

Segundo Kiley, o indivíduo tende a apresentar rasgos de irresponsabilidade, rebeldia, cólera, narcisismo, dependência e negação ao envelhecimento. Geralmente crianças superprotegidas adquirem este distúrbio que pode levar para vida toda.

Assim como na sociedade, a Igreja como parte dela, também tem os seus “Peter Pans”. São pessoas que há anos afirmam seguirem numa comunidade de fé, mas que infelizmente ainda são pessoas infantes na fé. Estes tem seu desenvolvimento comprometido principalmente pela incapacidade de reconhecer que seus sentimentos, motivações e atitudes, nada tem haver com Cristo e seu evangelho.

A ordem de Pedro é “cresçam”, mas eles preferem a mediocridade. São verdadeiros “pigmeus evangélicos”, que continuam a valorizar o secundário; estão mais interessados na letra da lei do que em seu espirito; valorizam coisas e não pessoas; se empenham mais pelo ter do que pelo ser; desprezam o interno em detrimento do externo; preferem a atenção dos homens do que a de Deus.

Que o Senhor nos dê lucidez para perceber o quão pouco ou nada evoluímos durante todo esse tempo. Que o Senhor nos arranque da infantilidade cristã e nos transporte para um outro patamar de maturação. E como bem disse o apóstolo “que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, CRESÇAMOS em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”. Efésios 4.14,15.

Pense Nisso!

Weslei Pinha


Deixe seu comentário